Erros a serem evitados na Redação ENEM 2013

Fonte: INFOENEM

Neste último mês de estudos para o Exame Nacional do Ensino Médio, praticar o máximo que puder é a principal estratégia a ser aplicada. Já falamos sobre isso em vários artigos direcionados para as provas objetivas. E com a Redação não deve ser diferente.

Nessas semanas que antecedem o exame, aumentar a quantidade de redações semanais é fundamental para chegar confiante e bem preparado no segundo dia de provas do Enem, no qual terá que escrevê-la. Se você não está escrevendo nenhuma redação, faça no mínimo uma por semana. Se já escreve uma semanalmente, aumente para duas. Se faz duas por semana, experimente três. Quanto mais treinar, melhor.

Dada nossa orientação inicial, elencamos abaixo alguns erros/descuidos que você deve evitar quando for escrever suas próximas redações, especialmente a do dia 27 de outubro. Leia com atenção e lembre-se deles sempre que estiver com o papel e caneta em mãos! Bons estudos!

 

1- Letra ilegível: Eis o primeiro grande equívoco. Não é possível querer obter sucesso na redação com uma letra cuja qual o corretor terá que decifrar, concorda? Além disso, quando escreve um texto ¨limpo¨ e com letra caprichada, você facilita o trabalho do corretor, o que já te deixa em vantagem em relação aos candidatos que não o fazem. Aproveite os próximos textos que irá fazer para treinar sua caligrafia também. Durante a prova, caso cometa algum erro ortográfico, coloque a palavra entre parêntesis e trace um risco sobre ela;

2- Trocar o gênero exigido pela proposta: Muita atenção aqui, pois este erro pode levá-lo a nota zero na redação! O gênero exigido na redação do Enem é a Dissertação – Argumentativa. Nada de narrativas, cartas ou poesias. Esse gênero consiste num texto opinativo que se organiza na defesa de seu ponto de vista sobre determinado assunto. Para entendê-lo mais a fundo, vale a pena conferir este artigo da nossa colunista e professora de redação, Camila Pozza;

3- Fugir do tema: Outro importante erro que é passível de zerar sua redação. Divagar ou ¨viajar¨ no tema proposto caracterizam esse deslize. Para evitá-lo, leia com muita atenção a proposta e certifique-se que, além de deixar clara sua opinião, também está dando uma solução adequada à problemática abordada pelo tema;

4- Evitar chavões, clichês e argumentos frágeis: Certamente você já ouviu essa recomendação, mas não é exagero ressaltar. Generalizações como “antes só do que mal acompanhado”, ¨faca de dois gumes¨ e ¨fechar com chave de ouro¨, por exemplo, demonstram falta de originalidade do autor, além de empobrecer muito o texto;

5- Cometer erros na grafia ou concordância: Erros de acentuação e escrita das palavras, recorrentes no mesmo texto, levam a perda de pontos preciosos. Pontuação incorreta, e falta de concordância, como ¨Fazem muitos meses¨, podem alterar o sentido das frases e comprometer a redação. A principal dica aqui é que você faça uma boa revisão após concluir seu texto, relendo-o mais de uma vez se possível;

6- Deixar de lado a coerência e a coesão: A conexão entre os parágrafos e as ideias deve ser bem estabelecida para garantir a fluência do texto. Uma boa dica neste ponto, é escrever de forma que o próximo para parágrafo responda ou dê sequência ao anterior. Não contradizer seus argumentos/ideias e manter a pessoa gramatical (iniciar o texto em terceira pessoa e depois não mudá-lo para primeira pessoa, por exemplo) também são passos fundamentais para não perder a coerência;

7- Usar fases imperativas: Instruções ou ordens ao leitor, como ¨faça isso¨ ou ¨haja desta maneira¨ são consideradas frágeis e fogem a discussão proposta pela redação. O ideal é organizar seus argumentos de forma que a reflexão e as conclusões sobre eles fiquem a cargo do próprio leitor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>